entendendo o direito empresarial
Entendendo o Direito empresarial
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

No direito empresarial é incluso todas as leis e regras relacionadas à administração e vida útil dos “negócios”. 

O próprio direito empresarial reúne vários ramos do direito e não forma um corpus unificado. Daí o seu caráter abundante.

Sendo o direito empresarial um ramo importante do direito comercial. Reúne todas as regras que regem a criação, o modo de operação e a dissolução das empresas de direito privado.

Cada vez mais, as empresas enfrentam profundas mudanças estruturais na economia e na vida social.

Esses transtornos são a fonte de grandes mudanças no campo jurídico, mais especificamente no direito empresarial. O interesse em familiarizar-se com o conteúdo desse ramo do direito privado é, portanto, mais do que nunca real. 

De fato, mesmo sem ser especialista, qualquer gerente deve ter noções mínimas no assunto, para ter o reflexo de pensar no aspecto jurídico ao definir uma nova estratégia, entre outros.

Quer entender melhor ou precisa de ajuda? Entre em contato com a gente: Fernando Ramos Advocacia.

O direito da concorrência é outro ramo, quase tão importante: define os relacionamentos entre os agentes econômicos em seus relatórios ao mercado. Ele se esforça para impor a concorrência e proíbe práticas consideradas anticoncorrenciais. 

O direito empresarial é muito amplo, para dizer o mínimo! Obviamente, não é possível ter uma visão sinótica sobre todo o direito comercial. 

Por outro lado, é altamente recomendável anotar as principais regras do direito empresarial relacionadas à sua atividade. Por exemplo, direito societário, se você deseja iniciar um negócio, gerenciá-lo de acordo com as regras, etc.

Criação de empresa

Começar um negócio está longe de ser simples no Brasil. A liberdade tem um custo! A complexidade das regras legais e tributárias ou a rigidez dos procedimentos administrativos podem adiar os planos.

Para criar um negócio sustentável, você deve amadurecer seu projeto com bastante antecedência e conhecer as regras básicas que governam a criação de negócios.

Qual é o escopo da aplicação do direito empresarial?

Por ser multidisciplinar, a lei relativa ao mundo dos negócios tem um amplo campo de aplicação. É elaborado pelo governo, pela autoridade municipal, pela autoridade dos mercados financeiros e empresta muitas das suas disposições dos instrumentos do direito internacional. 

O Código Comercial rege o direito comercial e o direito da concorrência, o Código Monetário e Financeiro rege o direito financeiro, o Código de Propriedade Intelectual lida com propriedade intelectual, industrial e marcas registradas, etc.

Além disso, o direito empresarial está sendo modernizado porque o mundo dos negócios está mudando constantemente devido à globalização.

Essa modernização visa adaptar as regras ao novo contexto econômico e todos os ramos mencionados anteriormente passaram por várias reformas nos últimos anos por razões de adaptabilidade e eficiência.

Por fim, há situações em que a administração intervém no setor econômico, como o setor de comunicações eletrônicas e multimídia: neste caso, falamos de direito comercial público. 

Pode ser uma aquisição, controle ou condução de atividades econômicas. Essa intervenção, no entanto, não significa que o direito comercial esteja sujeito ao direito público, é essencialmente uma questão de direito privado.

Espero ter ajudado! Um abraço e até a próxima!

  VEJA TAMBÉM
Tribunal de Justiça de São Paulo suspende majoração de ICMS em Ovos de Páscoa
Ativos intangíveis devem ser amortizados no Imposto de Renda Pessoa Jurídica e na Contribuição Social Sobre o lucro liquido de empresas optantes pelo regime de lucro real
Associações do setor de carnes questionam no STF a validade de normas no Estado de São Paulo
Supremo decide pela constitucionalidade na vedação de compartilhamento de informações prestadas ao Regime de repatriação de ativos
Presidente do CNJ, Ministro Luiz Fux, acredita que a reforma tributária pode refrear a judicialização excessiva.
É Inconstitucional a cobrança de ITCMD sobre doações e herança na ausência de Lei Complementar, decide STF.
Setor de serviços e comércio envia documento formal à Secretaria do Governo …
Ministro da Economia pretende adiar pagamento do Simples Nacional para o próximo ano
Câmara do Comércio Exterior estabelece alíquota zero para importação de revólveres e pistolas
Teto para multa em decorrência da dívida de ICMS é de 20% da atividade tributável
STJ acaba com a obrigatoriedade de certidão negativa para a homologação de recuperações judiciais
Projeto de Lei busca maior transparência nas ações dos fiscos.
IBGE afirma que PIB brasileiro cresceu mais de 7% no terceiro trimestre de 2020
A antecipação da revogação de benefício de PIS e Cofins para o mercado varejista será julgada pelo STF
ABAT vai analisar carga tributária sobre bens digitais
Fórum Tributário Nacional discute Reforma Tributária com empresas privadas
Projeto de Lei retira benefícios Tributários de empresas que realizem atos discriminatórios contra seus funcionários.
2ª Turma do STJ decidiu pela incidência de IR e CSLL na correção monetária de investimentos.
Cerca de 3 mil empresas inadimplentes do Simples Nacional podem ficar fora do Regime tributário.
Receita, CNJ, PGFN e CARF, farão acordo para analisar processos do contencioso tributário.
7ª Turma do TRF 1 mantem isenção de IPI para compra de automóvel a portador de orteoartrose primaria e contusão no joelho.
Projeto de Lei Complementar cria nova possibilidade de pagamento de tributos estaduais e municipais.
STJ decidiu que os custos com material não podem ser excluídos do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica com lucro presumido.
TRF3 mantém condenação de empresário por sonegação milionária.
Seguindo entendimento do STF, 6ª Turma do STJ definiu ser indispensável a contumácia na ausência de recolhimento de ICMS para caracterização de crime tributário.
TRF1 decidiu que a conversão do depósito em renda é suficiente para extinção de execução fiscal.
Empresa recebe liminar para reinserção no Simples Nacional após exclusão por inadimplemento de baixo valor
2ª Turma do TRF4 decidiu pela extinção do crédito tributário quando o pagamento é realizado no período de 20 dias após a notificação.
STF decidiu que é constitucional a determinação de alíquotas maiores, quanto à Contribuição ao PIS e à Cofins, para empresas importadoras de autopeças.
Mandado de segurança Coletivo que buscava suspender a exigibilidade de PIS e COFINS é extinto.
Next
Prev
Leave a Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nosso blog