por que contratar uma consultoria tributaria
Por que contratar uma consultoria tributária?
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Por que contratar uma consultoria tributária?

Ao iniciar uma empresa, pouco se questiona acerca de pagamento de impostos ou documentos necessários do ramo tributário, o que resulta no prejuízo futuramente. Por esse motivo, é importante entender por que contratar uma consultoria tributária.

É normal não ter conhecimento acerca de tributos ou impostos em que o pagamento é obrigatório, contudo, é sua obrigação criar responsabilidade quanto a isso, contratando uma consultoria tributária.

Vamos conferir então alguns motivos para que você contrate hoje mesmo uma consultoria tributária para o seu negócio.

Negociação ou economia?

Muito se comenta que as consultorias tributárias conversam com o Governo e reduzem os seus impostos, porém essa não é a realidade. Na prática, essa consultoria irá postergar o fato que gerou o seu imposto, e acredite, isso é melhor do que solicitar um prazo (maior do que já foi ofertado) para o pagamento.

Ademais, os custos tributários podem ser reduzidos nesse momento de negociação, e não o valor em si, o que aparenta entendimento sobre o assunto. Dificilmente um empresário tenha conhecimento sobre esse tipo de abordagem, e é justamente o ponto forte da consultoria tributária.

Além de negociar com o Governo acerca do pagamento de seus tributos, essa consultoria se preocupa com as suas atividades na empresa e como elas podem melhorar, tributariamente falando, resultando em uma economia.

Ainda nessa linha de raciocínio, entende-se que os serviços dessa consultoria também são voltados para a verificação do potencial que a empresa tem em relação aos créditos tributários.

Esses créditos tributários geralmente vêm de pagamentos feitos inadequadamente de tributos, ou até mesmo nos casos em que a empresa não aproveitou créditos disponibilizados ou benefícios fiscais.

Segurança legal

Outro benefício encontrado nos serviços das consultorias tributárias é a segurança, ou em outras palavras, evitando riscos nas autuações futuras, além da segurança propriamente dita relacionada a matéria tributária.

Desde 2007, percebe-se uma aprimoração da Receita Federal no que tange aos contribuintes fiscalizados, então os auditores fiscais são mais atentos ao longo do tempo, por existir um incentivo na capacitação. Na prática, significa que esses profissionais estão mais preparados para encontrar irregularidades quanto aos erros tributários.

Quando dizemos “segurança legal” também estamos nos referindo às atualizações legislativas. No Brasil, constantemente estamos sujeitos a modificações nos códigos e leis em geral, por isso, estar atualizado com essas alterações se tornou mais difícil.

Estar fechado com uma consultoria tributária é ter a certeza de que os seus passos serão guiados de acordo com o que a lei prevê e permite. Dessa maneira, é mais fácil administrar uma empresa, com todas as previsões legais em mão e uma equipe específica para cuidar disso.

Desembolsos e reembolsos evitáveis

O fato de que nós, brasileiros, não estamos muito por dentro do mundo tributário, reflete quanto ao pagamento obviamente. Se não sabemos o que estamos pagando, estamos fazendo errado, e no futuro isso significa reembolso.

Com uma consultoria tributária, é possível garantir uma tributação apropriada para o seu negócio, e com isso, o seu setor financeiro não vai precisar desembolsar um dinheiro que poderia estar guardado ou investindo em novas práticas, a fim de melhorar a empresa.

  VEJA TAMBÉM
Tribunal de Justiça de São Paulo suspende majoração de ICMS em Ovos de Páscoa
Ativos intangíveis devem ser amortizados no Imposto de Renda Pessoa Jurídica e na Contribuição Social Sobre o lucro liquido de empresas optantes pelo regime de lucro real
Associações do setor de carnes questionam no STF a validade de normas no Estado de São Paulo
Supremo decide pela constitucionalidade na vedação de compartilhamento de informações prestadas ao Regime de repatriação de ativos
Presidente do CNJ, Ministro Luiz Fux, acredita que a reforma tributária pode refrear a judicialização excessiva.
É Inconstitucional a cobrança de ITCMD sobre doações e herança na ausência de Lei Complementar, decide STF.
Setor de serviços e comércio envia documento formal à Secretaria do Governo …
Ministro da Economia pretende adiar pagamento do Simples Nacional para o próximo ano
Câmara do Comércio Exterior estabelece alíquota zero para importação de revólveres e pistolas
Teto para multa em decorrência da dívida de ICMS é de 20% da atividade tributável
STJ acaba com a obrigatoriedade de certidão negativa para a homologação de recuperações judiciais
Projeto de Lei busca maior transparência nas ações dos fiscos.
IBGE afirma que PIB brasileiro cresceu mais de 7% no terceiro trimestre de 2020
A antecipação da revogação de benefício de PIS e Cofins para o mercado varejista será julgada pelo STF
ABAT vai analisar carga tributária sobre bens digitais
Fórum Tributário Nacional discute Reforma Tributária com empresas privadas
Projeto de Lei retira benefícios Tributários de empresas que realizem atos discriminatórios contra seus funcionários.
2ª Turma do STJ decidiu pela incidência de IR e CSLL na correção monetária de investimentos.
Cerca de 3 mil empresas inadimplentes do Simples Nacional podem ficar fora do Regime tributário.
Receita, CNJ, PGFN e CARF, farão acordo para analisar processos do contencioso tributário.
7ª Turma do TRF 1 mantem isenção de IPI para compra de automóvel a portador de orteoartrose primaria e contusão no joelho.
Projeto de Lei Complementar cria nova possibilidade de pagamento de tributos estaduais e municipais.
STJ decidiu que os custos com material não podem ser excluídos do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica com lucro presumido.
TRF3 mantém condenação de empresário por sonegação milionária.
Seguindo entendimento do STF, 6ª Turma do STJ definiu ser indispensável a contumácia na ausência de recolhimento de ICMS para caracterização de crime tributário.
TRF1 decidiu que a conversão do depósito em renda é suficiente para extinção de execução fiscal.
Empresa recebe liminar para reinserção no Simples Nacional após exclusão por inadimplemento de baixo valor
2ª Turma do TRF4 decidiu pela extinção do crédito tributário quando o pagamento é realizado no período de 20 dias após a notificação.
STF decidiu que é constitucional a determinação de alíquotas maiores, quanto à Contribuição ao PIS e à Cofins, para empresas importadoras de autopeças.
Mandado de segurança Coletivo que buscava suspender a exigibilidade de PIS e COFINS é extinto.
Next
Prev
Leave a Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nosso blog