fernando conceição ramos Imunidade do ITBI não alcança valor que excede capital integralizado
STF diz que Isenção do ITBI não atinge valor que ultrapassa capital integralizado
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

A isenção relacionada ao Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), prevista no inciso I do parágrafo 2º do artigo 156 da Constituição Federal, não atinge o valor dos bens que ultrapassa o limite do capital social a ser integralizado. Aliás, infringi-se a lei e o fisco municipal se lesada.

Com essa compreensão e por maior número, o Plenário virtual do Supremo Tribunal Federal recusou ocupação ao apelo extraordinário de empresa que intencionava a imunidade tributária ao integrar imóveis, cujo valor total ultrapassa em mais de R$ 775 mil o valor de seu capital social pessoal, de R$ 24 mil.

Leia també: REFORMA TRIBUTÁRIA OU ENDIVIDAMENTO?

A imunidade foi indeferida pelo município de São João Batista em Santa Catarina, pelo mesmo juízo agora atestado pelo STF. No recurso, a autora argumentou que não há, na Constituição Federal, qualquer restrição relativa ao cumprimento da isenção do ITBI, não podendo o Poder Executivo ou o Judiciário determiná-la. 

Predominou o voto discordante do ministro Alexandre de Moraes, para quem o propósito da lei é unicamente isentar a remuneração de bens ou direitos que o sócio faz para integrar o capital, que é feita quando os sócios pagam as quotas subscritas.

“Não há o que impeça que os sócios ou os acionistas ofereçam quantias superiores a por eles assinado, e que o contrato social anteveja que essa verba será considerada como reserva de capital. Essa formalidade se inclui na emancipação de vontade dos subscritores”, salientou o ministro Alexandre.

Inadmissível é que, com a desculpa de gerar uma reserva de capital, haja a intenção de isentar o valor dos imóveis que excedeu às quotas assinadas, ao transgredir a norma constitucional e prejudicando o Fisco municipal”, encerrou.

O desentendimento foi seguido pelos ministros Gilmar Mendes, Luiz Fux, Rosa Weber, Dias Toffoli, Luís Roberto Barroso e Celso de Mello. A tese aprovada foi: “A imunidade em relação ITBI, prevista no inciso I do § 2º do art. 156 da Constituição Federal, não alcança o valor dos bens que exceder o limite do capital social a ser integralizado”.

Votos vencidos
Foi vencido o descritor do apelo extraordinário, ministro Marco Aurélio, seguido pelos ministros Edson Fahin, Ricardo Lewandowski e Carmen Lúcia.

Para a corrente minoritária, o motivo de ser da isenção é favorecer o trânsito jurídico de bens, até mesmo ponderado o ganho social resultante do desenvolvimento nacional. Entretanto, não deve haver tributação, mesmo se o valor acrescentado exceder o capital social a ser integrado.

“O lucro na solicitação de cotas ou ações apresenta investimento direto na sociedade empresária, com tamanha intensidade quanto a integralização de capital pura e simplesmente, precisando receber igual tratamento. É considerada a noção: onde existir o mesmo princípio , emprega-se o mesmo direito”, declarou o relator.

  VEJA TAMBÉM
Tribunal de Justiça de São Paulo suspende majoração de ICMS em Ovos de Páscoa
Ativos intangíveis devem ser amortizados no Imposto de Renda Pessoa Jurídica e na Contribuição Social Sobre o lucro liquido de empresas optantes pelo regime de lucro real
Associações do setor de carnes questionam no STF a validade de normas no Estado de São Paulo
Supremo decide pela constitucionalidade na vedação de compartilhamento de informações prestadas ao Regime de repatriação de ativos
Presidente do CNJ, Ministro Luiz Fux, acredita que a reforma tributária pode refrear a judicialização excessiva.
É Inconstitucional a cobrança de ITCMD sobre doações e herança na ausência de Lei Complementar, decide STF.
Setor de serviços e comércio envia documento formal à Secretaria do Governo …
Ministro da Economia pretende adiar pagamento do Simples Nacional para o próximo ano
Câmara do Comércio Exterior estabelece alíquota zero para importação de revólveres e pistolas
Teto para multa em decorrência da dívida de ICMS é de 20% da atividade tributável
STJ acaba com a obrigatoriedade de certidão negativa para a homologação de recuperações judiciais
Projeto de Lei busca maior transparência nas ações dos fiscos.
IBGE afirma que PIB brasileiro cresceu mais de 7% no terceiro trimestre de 2020
A antecipação da revogação de benefício de PIS e Cofins para o mercado varejista será julgada pelo STF
ABAT vai analisar carga tributária sobre bens digitais
Fórum Tributário Nacional discute Reforma Tributária com empresas privadas
Projeto de Lei retira benefícios Tributários de empresas que realizem atos discriminatórios contra seus funcionários.
2ª Turma do STJ decidiu pela incidência de IR e CSLL na correção monetária de investimentos.
Cerca de 3 mil empresas inadimplentes do Simples Nacional podem ficar fora do Regime tributário.
Receita, CNJ, PGFN e CARF, farão acordo para analisar processos do contencioso tributário.
7ª Turma do TRF 1 mantem isenção de IPI para compra de automóvel a portador de orteoartrose primaria e contusão no joelho.
Projeto de Lei Complementar cria nova possibilidade de pagamento de tributos estaduais e municipais.
STJ decidiu que os custos com material não podem ser excluídos do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica com lucro presumido.
TRF3 mantém condenação de empresário por sonegação milionária.
Seguindo entendimento do STF, 6ª Turma do STJ definiu ser indispensável a contumácia na ausência de recolhimento de ICMS para caracterização de crime tributário.
TRF1 decidiu que a conversão do depósito em renda é suficiente para extinção de execução fiscal.
Empresa recebe liminar para reinserção no Simples Nacional após exclusão por inadimplemento de baixo valor
2ª Turma do TRF4 decidiu pela extinção do crédito tributário quando o pagamento é realizado no período de 20 dias após a notificação.
STF decidiu que é constitucional a determinação de alíquotas maiores, quanto à Contribuição ao PIS e à Cofins, para empresas importadoras de autopeças.
Mandado de segurança Coletivo que buscava suspender a exigibilidade de PIS e COFINS é extinto.
Next
Prev
Leave a Response

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nosso blog